José Medeiros de Lacerda

Leia poesia - A poesia é o remédio da alma

Meu Diário
20/07/2008 18h33
COCO DA ROXA
O Grupo Gecan vem se especializando nas danças de Coco,
   devido às suas inúmeras modalidades.Na foto ao lado temos
   uma coreografia de  Coco da  Roxa, apresentada  na Escola
   Estadual Pedro Anísio  de Santa Luzia,  nos  festejos juninos.
   Praticada na  Praia  do  Forte  Velho, litoral  paraibano, essa
   modalidade de coco  de umbigada, possui  um  ritmo  conta-
   giante e vibrante. A batida do zabumba  nele  difere  da  dos
   outros cocos praieiros. Também  a  sua  maneira  de  dançar
   difere  da  dos  demais  pois a sua umbigada  é  praticada de
   maneira diferente. 

Publicado por Zé Lacerda em 20/07/2008 às 18h33
Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
20/07/2008 18h31
COCO DO PAU PEREIRA
Primo-irmão  do  MAKULELÊ  da  Bahia, o maneiro pau  é
   dançado  só  por  homens, que  carregando   nas   mãos  um
   bastão de madeira vão dançando e batendo com os mesmos
   uns nos outros marcando assim o ritmo da  música. É  dança
   de luta e sua origem  é africana. Na  Paraiba   recebe  vários
   nomes, sendo mais conhecida como COCO  DE  CACETE.
   Muito  divulgado  no  sertão, já  fronteira com o Ceará onde
   também  ele   é  dançado  da mesma maneira. O Gecan cria
   mais uma modalidade para este  ritmo, sendo  mais compas-
   sado, menos agressivo, mas com as  mesmas  características
   do  maculelê  e do  maneiro  pau,  batidas   no  chão   e  nos
   outros em círculo e em colunas, daí vem o nome da dança.

Publicado por Zé Lacerda em 20/07/2008 às 18h31
Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
20/07/2008 18h28
XOTE NORDESTINO
Oriunda da  Alemanha a dança do Xote penetrou  em  todas
   as regiões  do  Brasil adquirindo características peculiares  a
   cada  uma  delas.  No Sul ela  permanece  mais  fiel  às suas
   origens, porém  no  Nordeste  abrasileirou-se  e  o seu ritmo
   quente e  contagiante é hoje  obrigatório  nos  forrós juninos.
   Na Paraiba existem várias modalidades, a exemplo  do  xote
   batido, xote arrastadinho,xote miudinho, etc. Todos eles são
   dançados   no  mesmo  ritmo, mudando  apenas a execução
   dos passos


Publicado por Zé Lacerda em 20/07/2008 às 18h28
Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
20/07/2008 18h24
DANÇA DO BAIÃO
 Dança  de  origem asteca, O  Baião, que  já foi  chamado de
   Cururu, no Centro-Oeste e de Dança do Baiano no Nordes-
   te, chegou ao nome e status que tem hoje, graças  ao  pouco 
   estudo e linguajar simplório de  Luis  Gonzaga,  no  início  de
   sua  carreira  no  Rio  de  Janeiro, ao  anunciar  a  música do
   baiano, dizia a “musga do baião”, nascendo assim  o verbete
   BAIÃO, e Gonzagão terminou sendo o criador da palavra  e
   do ritmo  próprio do baião. Hoje o Baião é uma  das danças
   mais solicitadas nos salões, embora modernizada  pelo siste-
   ma  eletrônico  atual.  Nas  cidades  de  New   York  e  São 
   Francisco(USA), existem casas de show fundamentadas  no 
   Baião  Brasileiro.

Publicado por Zé Lacerda em 20/07/2008 às 18h24
Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
20/07/2008 18h15
COCO DO SERTÃO
COCO DO SERTÃO
   Esta  modalidade  de coco tem  como  fundador  e  principal
   intérprete o poeta MANOEL DE BIA  de  Santa Luzia,  que
   completou 90  anos  neste 2007  mas  ainda apresentou  seu
   coco de  roda nos festejos  juninos de  nossa  cidade. 
   Diferente dos cocos  praieiros, o  coco do sertão é  dançado
   de mãos dadas  ou  batendo palmas. A  batida  do  zabumba
   também  é  feita   de  forma  diferente,  e  o seu andamento é
   mais lento e cadenciado.
   Muito  conhecido   na  região   sertaneja,  em   especial   nas
   cidades de Santa Luzia e Itaporanga

Publicado por Zé Lacerda em 20/07/2008 às 18h15
Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 1 de 2 1 2 [próxima»]

Site do Escritor criado por Recanto das Letras